Semi Uraí promove férias culturais com adolescentes

Programação inclui visitas a museus e centros culturais da capital paulista, após retomada das atividades externas

 

As férias escolares dos adolescentes em medida socioeducativa no CASA de Semiliberdade Uraí, localizado na cidade de São Paulo, estão recheadas de atividades em museus, centros culturais e até gastronômica durante o mês de janeiro.

A programação paulistana inclui visitas ao Museu do Futebol, o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), a Fábrica da Cultura e o Mercado Municipal da Cantareira, conhecido como Mercadão. A retomada das ações externas pelo CASA de Semiliberdade vem desde dezembro, quando os alguns adolescentes visitaram a Biblioteca São Paulo (BSP), no Parque da Juventude, e o Museu da Língua Portuguesa.

Entre as atrações que os jovens poderão conferir no CCBB em janeiro estão a exposição Brasilidade Pós-Modernismo, que celebra os 100 anos da Semana de Arte Moderna de 1922, apresentando as conquistas que o movimento trouxe às artes plásticas brasileira.

Já no Museu do Futebol, eles poderão ver a exposição permanente que conta a história do esporte e a sua expressão no Brasil. São 15 salas temáticas que ocupam 6 mil metros quadrados que mostram os motivos de o futebol ter se tornado uma espécie de patrimônio nacional.

Retomada

Em dezembro, em grupos distintos, os adolescentes descobriram a Biblioteca São Paulo, localizada no Parque da Juventude, um espaço cultural de importância na capital, que já esteve, em 2018, entre os finalistas na categoria de Melhor Biblioteca do Ano do The London Book Fair International Excellence Awards.

Ao lado da psicóloga Olga Felli e da agente de apoio socioeducativo Denise Alonso, os jovens descobriram o acervo local, com livros, audiolivros, salas de jogos eletrônicos, ludoteca e auditório para eventos culturais.

“Toda atividade tem o objetivo de ampliar o leque de conhecimento dos jovens nos vários segmentos, em especial da arte e cultura”, explica a diretora do CASA de Semiliberdade Uraí, Norma Minozzi Vianna.

No Museu da Língua Portuguesa, seis adolescentes participaram, pela primeira vez, de visita monitorada, em que aprenderam sobre a história da língua falada por mais de 260 milhões de pessoas no planeta.

Eles ainda visitaram a exposição Deslocamentos Cruzados e apreciar a mostra Tanto Mar, do artista Leandro Lima, que apresenta uma obra com luzes, cores e movimentos. A assistente social Gabriela Carmo Silva, a pedagoga Lisadra Santos Ribeiro e a agente de apoio socioeducativo Maria Tereza Soares Batista acompanharam os jovens.

Compartilhe esta notícia: