Jovens do CASA Caraguá se expressam na Conferência Lúdica

Dois adolescentes apresentaram propostas relacionadas aos direitos infanto-juvenis no contexto da pandemia de Covid-19

 

Os jovens Yuri, de 17 anos, e Carlos (nomes fictícios), de 18 anos, que cumprem medida socioeducativa no CASA Caraguatatuba, participaram na última sexta-feira (18) da 3ª Conferência Lúdica dos Direitos da Criança e do Adolescente, promovida pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) de Caraguatatuba no Teatro Mário Covas.

No espaço representativo, junto de outras crianças e adolescentes, os jovens apresentaram e discutiram propostas sobre a proteção integral dos direitos infanto-juvenis no contexto da pandemia da Covid-19, especialmente no enfrentamento das consequências físicas e mentais que impactaram esse público.

Com realização da prefeitura, a Conferência Lúdica teve o objetivo de ouvir de estudantes de escolas públicas municipais e estaduais e particulares, Escola Técnica Estadual (Etec) e Instituto Federal as suas propostas para a 7ª Conferência Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, prevista para ocorrer no dia 1º de dezembro.

“Abrir espaço para os adolescentes da Fundação CASA expressarem suas propostas é um meio de dar oportunidade de exercerem seu protagonismo e colaborarem na proposição de melhoria dos serviços públicos”, analise o secretário da Justiça e Cidadania e presidente da Fundação CASA, Fernando José da Costa.

Em grupos de trabalho, os jovens do CASA participaram ativamente das discussões. Em um deles, Yuri levantou a possibilidade de oferecer atendimento psicossocial aos estudantes nas escolas, como estratégia para enfrentar as consequências da pandemia da Covid-19 sobre a saúde mental dos alunos. A proposta foi votada e elencada entre as proposições para a 7ª Conferência Municipal.

A Conferência Municipal é a primeira das três etapas – municipal, estadual e nacional – até a 12ª Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (CNDCA), prevista para ocorrer em novembro de 2023. O tema central da CNDCA é a situação dos direitos humanos de crianças e adolescente brasileiros em tempos de pandemia de Covid-19.

Na Conferência Municipal de Caraguatatuba, crianças e jovens apresentarão suas demandas e anseios sobre direitos e proteção integral diante da pandemia. As proposições, depois, serão apresentadas na etapa estadual Conferência, que deve ocorrer até agosto de 2023. Elas comporão as reivindicações e avaliações paulistas que serão, por sua vez, apresentadas na Conferência Nacional.

Compartilhe esta notícia: