Fundação CASA fecha parceria com prefeitura de Araçatuba para implantar pós-medida

Fernando José da Costa e Dilador Borges Damasceno assinaram acordo de cooperação nesta sexta (13); objetivo é atender egressos da Fundação CASA

 

O secretário da Justiça e Cidadania e presidente da Fundação CASA, Fernando José da Costa, assinaram nesta sexta-feira (13), na UniSalesiano, durante a ação do Governo na Área, o acordo de cooperação com o prefeito de Araçatuba, Dilador Borges Damasceno, para a implementação do programa de Pós-Medida no município de Araçatuba.

O programa de Pós-Medida é uma política pública, a ser realizada por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social, destinada a adolescentes e jovens egressos da internação, semiliberdade e internação provisória na Fundação CASA.

A iniciativa atua em diversas frentes, para realizar a plena inserção social e retorno à convivência comunitária. Uma das estratégias é oferecer uma ponte com o mercado de trabalho, a fim de evitar a reincidência em atos infracionais.

“O sistema de garantia de direitos prevê a união dos esforços do Judiciário, Executivo, de empresas e de organizações sociais para colocar em prática um programa que auxilie o egresso na sua reinserção na sociedade, depois de já ter cumprido a sua medida socioeducativa”, afirma o secretário da Justiça e Cidadania.

“Estamos colocando isto em prática e o acordo de cooperação é um posso fundamental”, acrescenta Fernando José da Costa.

Após a assinatura do documento, o secretário da Justiça visitou os dois centros socioeducativos instalados em Araçatuba – CASAs Araçá e Araçatuba.

Fernando José da Costa conversou com adolescentes em atendimento e servidores, além de conferir o andamento do processo de reforma dos centros socioeducativos e o resultado das melhorias para a inclusão digital dos jovens. O investimento nos centros socioeducativos em Araçatuba foi de R$ 1,877 milhão.

Em 2021, a Fundação CASA adquiriu 3.200 tablets e 661 smart TVs de 55 polegadas para as atividades pedagógicas, como cursos a distância, visitas virtuais a museus, acesso a bibliotecas, dentre outros conteúdos formativos que a internet pode prover. O investimento total foi de R$ 3.386.350,00.

Compartilhe esta notícia: