Jovens do CASA Praia Grande I vão ao Museu da Pesca

Visita monitorada tem foco educativo durante período do recesso das aulas da educação escolar

 


Um esqueleto de baleia com 23 metros de comprimento, lulas gigantes e um prédio construído no antigo Forte Augusto, do século XVIII. Essas são apenas algumas das atrações que seis adolescentes que cumprem medida socioeducativa de internação no CASA Praia Grande I, em Praia Grande, conheceram nesta quinta-feira (20/01), durante visita monitorada ao Museu da Pesca, em Santos.

A atividade é parte da programação das férias escolares, uma vez que os adolescentes estão em recesso das aulas da rede estadual. A educação escolar na Fundação CASA ocorre em parceria com a Secretaria do Estado da Educação, em que os jovens seguem o calendário e o conteúdo programático da rede estadual de ensino.

“Mais do que um passeio, é a oportunidade de apresentar o universo da preservação ambiental e a importância da utilização dos recursos naturais marinhos de forma sustentável”, avalia o diretor do CASA Praia Grande I, Alexander Pestana Vicente.

Os adolescentes conheceram o esqueleto da baleia-fin, encalhada na costa de Peruíbe em agosto de 1941, durante a 2ª Guerra Mundial; animais taxidermizados – como a lula gigante de 5 metros e 91 quilos; e uma raia-manta de mais de 4 metros de envergadura e 600 quilos, morta acidentalmente em Praia Grande em 2005.

Na Sala do Barco, os jovens em internação puderam manusear um timão antigo na proa de um barco à vela. Do prédio, cuja primeira finalidade foi ser uma fortificação para proteção da cidade, criada em 1734, souberam sua história, como o fato de ter sido abrigo da Escola de Aprendizes Marinheiros, além de uma antiga Escola da Pesca.

Compartilhe esta notícia: