Chef de cozinha ministra workshop para jovens do CASA Osasco I

Chef ensinou a dez adolescentes em internação técnicas e cuidados para preparo de pizzas, como meio para aprenderem um ofício

 

Olhares atentos, higiene na manipulação dos ingredientes e mistura de sabores – muçarela, calabresa e marguerita – compuseram o breve universo da gastronomia que o chef Luciano Marinho de Freitas apresentou, na tarde desta sexta-feira (1º) a dez adolescentes que cumprem medida socioeducativa de internação no CASA Osasco I, em Osasco, na Região Metropolitana de São Paulo.

O chef Freitas, da região da Granja Viana, em Cotia, ensinou algumas técnicas de panificação aos adolescentes, especialmente o preparo de pizzas, assim como os cuidados de higiene necessários. Ele também falou sobre sua história de vida e a carreira na área. O objetivo foi mostrar uma possibilidade de ofício que podem exercer, inclusive de forma empreendedora.

“Quis plantar uma semente, que dependerá de cada um deles a saber o fruto que poderá gerar e colher”, afirmou o chef de cozinha. “O mais importante foi dividir com eles o conhecimento.”

O workshop aconteceu na cozinha da área pedagógica do centro socioeducativo, já utilizada em cursos de educação profissional básica em culinária.

Pela terceira vez, o chefe ministra workshop na Fundação CASA. Em agosto, Freitas ensinou as mesmas técnicas para 20 adolescentes em internação nos centros socioeducativo da cidade de Santo André, na Região Metropolitana de São Paulo.

“Mostrar uma profissão, ainda que simples, é importante para esses adolescentes, pois indica a possibilidade de poderem seguir um caminho diferente, numa tentativa de fazer a diferença para eles”, avaliou Freitas.

Para o secretário da Justiça e Cidadania e presidente da Fundação CASA, Fernando José da Costa, o exemplo dos profissionais é uma das melhores estratégias pedagógicas para atingir os adolescentes em internação.

“Ao contar as experiências profissionais, os caminhos que percorreu, o trabalhador mostra que é possível uma vida digna, longe da criminalidade, incentivando a mudança de vida e comportamento dos jovens”, analisou Fernando José da Costa.

Compartilhe esta notícia: