Centros da DRMSE têm atividades sobre o Outubro Rosa

Ações no CAIP Ruth Pistori e no CASA Juquiá envolveram conscientização de adolescentes e servidores

 

A conscientização sobre os sintomas e os cuidados preventivos sobre o câncer de mama foi o foco das atividades pedagógicas realizadas no CAIP Ruth Pistori e no CASA Juquiá, em São Paulo, na última semana para as adolescentes em internação provisória e os jovens em internação e servidores. O tema é uma alusão à campanha Outubro Rosa, de combate à doença que acomete principalmente mulheres.

Palestras informativas e ilustrativas, em alguns momentos acompanhadas por apresentações dos adolescentes, marcaram a mensagem. Os centros socioeducativos pertencem à Divisão Regional Metropolitana Sudeste (DRMSE). Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), em 2020, o Brasil registrou 64 mil novos casos de câncer de mama em mulheres com mais de 30 anos.

Nesta terça-feira (26), no CAIP Ruth Pistori, a auxiliar de Enfermagem Neide Damas e o enfermeiro Clésio de Oliveira palestraram sobre a prevenção à doença para cerca de 50 adolescentes e servidores, além dos professores da escola vinculadora E.E. Padre Anchieta.

Um grupo de cerca de 20 garotas em internação provisória apresentaram uma paródia da música “Regime Fechado”, das cantoras Simone & Simária, disponível no YouTube, sobre a importância da prevenção ao câncer de mama.

A iniciativa da atividade foi dos professores da escola vinculadora, que também ensaiaram as meninas e discutiram, antes, o conteúdo em sala de aula, durante a educação escolar.

Já no CASA Juquiá, o enfermeiro Luciano Rodrigues de Oliveira apresentou, em palestra, o panorama da incidência do câncer de mama, os cuidados preventivos, os sintomas e a importância do autocuidado. Além dos adolescentes em internação, assistiram à exposição, em uma das salas multiuso, servidores das áreas pedagógica, psicossocial, saúde e segurança, além dos profissionais da escola vinculadora.

Oliveira é mestre e doutorando em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), onde também conclui especialidade em geriatria e gerontologia. Hoje é diretor de uma consultoria na área de saúde, mas já atuou profissionalmente no Hospital Sírio Libanês, na capital paulista, por 15 anos.

Compartilhe esta notícia: