Programa terá início em 13/10/2020; até lá, usuários já indicados se capacitarão e poderão simular uso do sistema

 

Com foco no aprimoramento e nas melhorias contínuas que vêm sendo realizadas na Instituição, a Fundação CASA, a partir do dia 13 de outubro, entra na era digital de produção de documentos por meio do Programa SP Sem Papel, do Governo do Estado de São Paulo, para facilitar os trabalhos realizados cotidianamente pelos servidores e colaboradores da CASA.

Desenvolvido em parceria com a Secretaria de Governo, Prodesp e o Arquivo Público do Estado de São Paulo o Programa SP Sem Papel tem como objetivo diminuir gradativamente o trâmite de papel na esfera da Administração Estadual com a adoção do processo digital. Vários são os benefícios do programa: eficiência e sustentabilidade; produção padronizada e racional de documentos; redução de gastos; produtividade e agilidade; transparência; trabalho facilitado; confiabilidade; e navegação intuitiva.

Para Paulo Dimas Mascaretti, secretário da Justiça e Cidadania e presidente da Fundação CASA, o Estado de São Paulo está dando um grande passo para alcançar um Governo 100% digital com a implantação do Programa SP Sem Papel e também prevê entre suas ações desburocratizar os serviços públicos. “Aqui na Fundação CASA, todo trabalho que era feito com uso de papel, agora, será por meio digital. São mudanças significativas que facilitarão o tramite de documentos para toda a administração pública com celeridade e economia de custos e de tempo”, destacou Paulo Dimas Mascaretti.

A partir do dia 21 de setembro, servidores que trabalham com tramitação e armazenamento de expedientes administrativos em diversos setores da Instituição, dentro e fora da Sede, e que foram indicados como futuros usuários imediatos do sistema, poderão se cadastrar no curso online do “Ambiente virtual de Aprendizagem” (https://treinamentos.spsempapel.sp.gov.br/acesso/), utilizando como usuário e senha o seu número de CPF. O curso é uma formação para aprender como utilizar o novo sistema.

Com o mesmo acesso e para colocar o aprendizado em prática, no mesmo período, esses funcionários poderão usufruir do “Ambiente de Simulação” para simular a criação de documentos e utilizar todas as funções do sistema. O objetivo é viabilizar o aprendizado antes do início efetivo do sistema na Instituição, de forma que possam levantar todas as dúvidas sobre a execução de seus trabalhos.


Presente e futuro

O Governo do Estado de São Paulo tem como diretriz usar a tecnologia para tornar a administração pública mais eficiente, reduzir custos, dar maior transparência e aumentar a qualidade dos serviços prestados aos cidadãos.

Como o Governo do Estado de São Paulo transmitiu a tarefa de implantação do novo modelo de produção documental aos órgãos da administração pública em suas respectivas competências, a Fundação CASA também vem fazendo sua parte.

Com organização da Assessoria de Inteligência Organizacional (AIO), UNICASA – Universidade Corporativa da Fundação CASA e Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo (Prodesp), cem servidores da Instituição participaram durante três dias (8, 9 e 11 de setembro) de um curso oferecido pela Fundação Vanzolini. Em seus setores, eles serão multiplicadores do conhecimento sobre o uso do Programa SP Sem Papel.

Entre os dias 14 de setembro e 09 de outubro, esses servidores-multiplicadores poderão usar um plantão de dúvidas específico, cujas informações de acesso já foram enviadas para os e-mails cadastrados. Os outros funcionários cadastrados para acessar os ambientes de aprendizagem e simulação poderão sanar suas dúvidas com os servidores-multiplicadores referências em suas áreas.

Outros 15 funcionários, que atuarão como suporte, administradores locais e como CADA (Comissão de Avaliação e Documentos e Acesso)/Protocolo, participaram de treinamento de 3 horas no dia 17 de setembro. Para inscrever outros servidores para utilizar o sistema, os dados deverão ser encaminhados pelos gestores para Rebeca Marilu Karan (Gabinete), Katia Sassati e Bruna Santos Silva (DGAR e AEPS) e Maridete Alves de Souza (DGA).

A partir do dia 13 de outubro, com o sistema em funcionamento, os usuários poderão utilizar, durante duas semanas, o plantão de dúvidas disponibilizado pela Fundação Vanzolini. Depois desse período, servidores treinados da Divisão de Tecnologia da Informação (DTI) da Fundação CASA oferecerão suporte por meio do telefone (11) 2927-9092.

Das partes envolvidas no desenvolvimento do Programa, para a Prodesp coube o desenvolvimento, a implantação e o suporte técnico das ferramentas para a solução digital, integrando os dois sistemas que compõem o sistema SP Sem Papel.

Ao Arquivo Público do Estado de São Paulo, coube assegurar que as normas e os procedimentos da política de gestão documental já praticada no mundo do papel sejam transferidos para o ambiente digital com a qualidade e a segurança necessária.

Para acessar o portal do SP Sem Papel, clique: https://www.spsempapel.sp.gov.br/.

O Programa

O SP Sem Papel é o programa do Governo do Estado de São Paulo para reduzir / eliminar gradualmente o trâmite de papel no âmbito da Administração Estadual e no seu relacionamento com outras esferas de governo, mediante, entre outras iniciativas, ações de desburocratização e a adoção do processo digital.

O portal SP Sem Papel é uma plataforma corporativa para a produção, tramitação, gestão e controle de processos / documentos digitais, que garante a classificação dos documentos no ato de sua produção de acordo com a Política Estadual de Arquivos.

Também assegura a preservação e a transparência dos documentos produzidos pela Administração Paulista, com controle de documentos sigilosos, e a confiabilidade por meio de assinatura por autenticação ou certificação digital.

A plataforma permite, ainda, a recepção de demandas, facilitando o relacionamento entre Prefeituras, Assembleia Legislativa e o Governo do Estado de São Paulo com o objetivo de se proporcionar um melhor atendimento à população paulista.

O portal é de uso exclusivo dos servidores públicos da administração estadual, prefeitos e entidades sociais autorizados a produzir documentos digitais e/ou formalizar relação bilateral com o Governo do Estado de São Paulo.