Atleta brasileiro de bobsled palestra no CASA Osasco I

Edson Luque Bindilatti falou para adolescentes em internação sobre sua carreira, dificuldades enfrentadas e desejo após última Olimpíada

 

Os adolescentes que cumprem medida socioeducativa de internação no CASA Osasco I, em Osasco, na Região Metropolitana de São Paulo, tiveram uma tarde inspiradora nesta segunda-feira (27) durante a palestra com o atleta Edson Luque Bindilatti, piloto de bobsled na Seleção Brasileira por 22 anos. O bobsled é uma modalidade em que uma equipe de quatro integrantes desce uma pista sinuosas e estreita de gelo com um trenó, podendo chegar a 150 km por hora.

Depois de competir em cinco Olimpíadas de Inverno no período – apenas em Vancouver (Canadá), em 2010, não integrou a equipe – o ex-atleta contou sua história de vida, cheia de superação; as dificuldades que enfrentou, inclusive por competir numa modalidade quase desconhecida no Brasil; e como pretende continuar sua carreira, agora nos bastidores e na formação de atletas no bobsled para o próximo ciclo olímpico.

“A presença de profissionais do esporte, mostrando suas experiências e os caminhos que trilharam, sempre impacta de forma positiva os adolescentes que cumprem medida socioeducativa”, explica o secretário da Justiça e Cidadania e presidente da Fundação CASA, Fernando José da Costa.

Nascido em Camamu, cidade do litoral Sul da Bahia, a 200 km de distância de Salvador, Bindilatti foi colocado para adoção quando tinha oito meses de idade, pois sua mãe não teve condições de cria-lo. Adotado por uma família paulista, viveu e cresceu na cidade de Santo André, na Região Metropolitana de São Paulo.

Sua história no esporte começou com o atletismo, aos 11 anos, quando se enveredou pelo decatlo – modalidade com dez provas. Ganhou títulos brasileiros, na América do Sul e ibero-americanos, competindo profissionalmente nessa primeira modalidade até 2009. Naquele ano, mesmo já tendo participado de duas Olimpíadas de Inverno – Salt Lake City (EUA), em 2002 e Turim (Itália), em 2006 – optou por seguir apenas com o bobsled.

Sua inspiração para a mudança veio depois de assistir ao filme “Jamaica abaixo de zero”, que mostra a história verídica da luta da equipe da Jamaica para se classificar para as Olimpíadas de Inverno de Calgary (Canadá), em 1988.

Depois de mais de 20 anos competindo pela Seleção Brasileira, sua última participação ocorreu nas Olimpíadas de Inverno de Pequim (China) em fevereiro passado. Graduado em Educação Física e pós-graduado em Treinamento Desportivo, Bindilatti tem o sonho de montar um centro de treinamento de bobsled, em busca de novos talentos, na cidade de São Caetano do Sul, também na Região Metropolitana de São Paulo.

Aliás, questionar o sonho e motivar a ir atrás foi um dos pontos da palestra para os adolescentes do CASA Osasco I. “Foi uma palestra excelente, que prendeu a todo o tempo a atenção dos jovens”, avalia a encarregada técnica do CASA, Paula Gomes Vieira.

“O ex-atleta trouxe a mensagem de superação, mostrando que saiu de um lugar de muita dificuldade e se dedicou para chegar onde chegou, sendo mais importante do que a glória como atleta olímpico, as vitórias pessoais e espirituais que obteve na jornada”, completa Paula.

Compartilhe esta notícia: