06/2020 - Edição 23        

 

Prezados servidores e servidoras da Fundação CASA-SP,

 

Quando surgiu a pandemia, criamos de imediato o nosso Comitê de Gerenciamento de Crise, implementando ao longo do tempo todas as medidas necessárias para preservar a saúde e a segurança dos nossos servidores e adolescentes.

Cabe destacar aqui as seguintes providências:

 

  • Criação dos Centros de Atenção Especial com espaços de quarentena dos adolescentes com servidores orientados, evitando que as entradas contaminassem os demais Centros e seus adolescentes e servidores;
  • Suspensão de atividades presenciais no Centro: visita familiar, atividades do Programa de Assistência Religiosa, de palestrantes e de voluntários;
  • Afastamento dos servidores do grupo de risco e licença obrigatória de 14 dias para os servidores com sintoma gripal ou que tenham convivido com pessoas com quadro sintomático da doença;
  • Revezamento em escala semanal da atuação presencial da equipe operacional, administrativa e técnica;
  • Compras e distribuição dos materiais de prevenção: álcool em gel, luvas, avental, sabão, oxímetros, termômetro infravermelho e máscaras descartáveis e de tecido, com o devido monitoramento rotineiro da disponibilidade do suprimento;
  • Campanha de valorização dos servidores e conscientização dos cuidados preventivos da doença e da limpeza das máscaras;
  • Disponibilização de kit básico para servidores que precisam acompanhar os adolescentes em Pronto Socorro e Hospitais;
  • Novas regras e normas para higiene, limpeza, desinfeção e esterilização dos ambientes, bem como para revistas nas entradas dos espaços da Fundação, com uso obrigatório de máscaras e inspeção da temperatura corporal (v. manual e comunicados disponibilizados na intranet);
  • Suspensão das saídas externas dos adolescentes, salvo em situação de urgência e emergência;
  • Solicitação ao Poder Judiciário para desinternação de adolescentes com doença imunossupressoras ou com sintomas gripais;
  • Programação de teste rápido em todos os servidores e adolescentes no primeiro caso de adolescente com Covid-19 (CASAs Jardim São Luiz I e II);
  • Criação de canal de comunicação dedicado ao combate ao coronavírus para contribuição dos servidores no cumprimento das medidas adotadas e outras sugestões (casacontracoronavirus@sp.gov.br).

 

Diariamente são monitorados os Centros de Atendimento para verificação do quadro de pessoal em atividade e da existência dos insumos e equipamentos de proteção, sendo então prontamente deliberadas as medidas pertinentes para sanar eventuais deficiências.

 

Neste momento tão delicado, temos destacado o comprometimento dos nossos servidores, valorizando o trabalho realizado pelas diversas áreas de nossa estrutura institucional. E temos registrado poucos casos de contaminação nesse longo período de quarentena no Estado, a maioria assintomáticos ou com baixo comprometimento da saúde, envolvendo inclusive servidores que nem sequer se encontravam em atividade. Mas em todas as situações a área da saúde atua prontamente, procedendo os afastamentos e encaminhamentos pertinentes.

 

É certo que foram identificados servidores e adolescentes com Covid-19 nas unidades do Jardim São Luiz, na capital, a maioria assintomáticos, a partir das testagens que realizamos. O Sindicato do Sistema Socioeducativo - SITSESP divulgou então um post com os seguintes dizeres:

 

“Urgente - A negligência da Fundação CASA espalha Covid-19 entre os trabalhadores e adolescentes”.

 

Recebemos esta manifestação do sindicato com profunda tristeza.

 

A Fundação CASA é um ente abstrato e a imputação de negligência se dirige, à evidência, aos inúmeros servidores do quadro da fundação, dos setores pedagógico, de saúde, administrativo, operacional e de segurança que se encontram espalhados nas nossas estruturas físicas em todo o Estado, trabalhando com muito empenho no exercício de suas funções, desenvolvendo as atividades próprias do sistema socioeducativo, atuando também no combate aos efeitos da pandemia.

 

Trata-se, portanto, de manifestação desrespeitosa e injusta para com o nosso quadro. Na verdade, a contenção do vírus depende da colaboração de TODOS, e, por isso, criamos um canal de comunicação imediata com a administração, não se podendo afirmar, de qualquer modo, que a infecção se inicia no local de trabalho, pois todos convivemos a maior parte do tempo em ambiente externo.

 

A chamada do sindicato representa então uma postura cômoda, pois o seu papel é também trazer contribuições efetivas para a solução dos graves desafios que todos enfrentamos numa situação atípica e inusitada. Deve haver colaboração, não basta criticar e reivindicar. Temos que nos unir em força e propósito. Nesse sentido os dirigentes do SITSESP foram recebidos pessoalmente por mim há poucos dias, não sendo apontados, na reunião, fatos relevantes que pudessem comprometer a salubridade e a segurança dos servidores nos Centros de Atendimento e nos demais espaços da instituição. As questões pontuais apresentadas foram objeto de pronto esclarecimento e, dependendo do caso, de imediata solução.

 

Desde o início da gestão temos instado o sindicato a ter uma participação construtiva, mantendo, inclusive, comissão bipartite para reuniões periódicas, sendo o sindicato prontamente atendido em agendamentos de outros encontros ou em pedidos de informações apresentados por meio de ofício.

 

Enfim, somos todos servidores e devemos estar unidos, trabalhando em cooperação, inclusive no período pós quarentena, pois o Brasil enfrenta a pior crise sanitária e econômica da sua história.

 

Importa reafirmar que nossa gestão prima pela transparência absoluta, investindo com vigor na comunicação interna e externa. No ano de 2019, visitamos todas as divisões regionais e muitos centros, ouvindo servidores e demais colaboradores; a direção é hoje integrada majoritariamente por servidores de carreira e que estão orientados a fazer um atendimento personalizado e humanizado a cada servidor. E o nosso Comitê de Gerenciamento de Crise, o qual integro, está diuturnamente à disposição para atender a todas as demandas pertinentes, inclusive para corrigir ações e determinar novas orientações. Tudo está devidamente publicado na intranet, em espaço específico.

 

O momento é de entendimento, de união e de bons sentimentos.

 

Forte abraço.

 

 

Paulo Dimas Mascaretti

Secretário da Justiça e Cidadania e Presidente da Fundação CASA

© Copyright 2019 DTI

Caso não consiga visualizar a mensagem, clique aqui