Por: Assessoria de Imprensa | Publicado em: 18/04/2019 19:30:14

Formação oferecida pela Defensoria Pública busca empoderar adolescentes sobre seus direitos

 

Todos os adolescentes em medida socioeducativa no CASA de Semiliberdade Franca, no interior paulista, participam do curso “Jovens Defensores Populares”, oferecido pela Defensoria Pública do Estado de São Paulo. É uma formação em cidadania que visa a esclarecer os adolescentes sobre seus direitos, de forma que também possam disseminar o conhecimento e intervir na comunidade.

A primeira de nove rodas de conversas aconteceu na terça-feira (16 de abril), na E.E. Professora Lydia Rocha Alves, e contou com a participação de cerca de 100 jovens atendidos pela Escola de Aprendizagem e Cidadania de Franca (ESAC) e da organização social Pastoral do Menor.

Duas vezes por mês, defensores públicos discutem com os jovens temas que são parte do universo deles e propostos pela equipe multiprofissional do centro socioeducativo.

No primeiro encontro, o debate com a advogada Ana Carolina Juzzo foi sobre os direitos femininos, a Lei Maria da Penha e a persistência da cultura do estupro. A advogada é membro da Comissão de Direitos das Mulheres da Seção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Franca.

A programação dos debates inclui ainda as diferenças entre o sistema de justiça juvenil e o penal, maioridade penal, justiça restaurativa, família e diversidade, preconceito estrutural, empoderamento social, entre outros.

“O grande objetivo dessas rodas de conversas é promover o empoderamento social dos adolescentes por meio da educação em direitos, ajudando-os a se reconhecer como verdadeiros sujeitos de direitos”, avalia a diretora do CASA de Semiliberdade Franca, Elaine Alexandra de Alencar.

No segundo encontro, os defensores públicos da Infância e Juventude de Franca, Roberto Henrique Moreira Júnior e Guilherme Paulo Marques, apresentarão os detalhes sobre o sistema de justiça juvenil, o funcionamento do sistema prisional e o impacto da maioridade penal.

A gestão do CASA de Semiliberdade de Franca é compartilhada com a organização social Pastoral do Menor.