Por: Assessoria de Imprensa | Publicado em: 13/04/2017 17:49:52

Montagem “Deus cuida de mim”, sobre livre arbítrio, atraiu cerca de mil pessoas em apresentação na Primeira Igreja Batista de Junqueirópolis

 

Os 12 adolescentes que cumprem medida socioeducativa no CASA Irapuru I, em Irapuru, guardam agora consigo uma lembrança inesquecível: serem aplaudidos de pé por cerca de mil pessoas após a apresentação da peça “Deus cuida de mim”, na Primeira Igreja Batista de Junqueirópolis, no último domingo (09 de abril).

“Imaginávamos que haveria uma plateia grande, mas não com quase mil pessoas!”, contou a coordenadora pedagógica do CASA, Nancy Mendonça, que acompanhou os jovens. “Na peça, no momento em que o bem venceu o mal, todos se levantaram e aplaudiram. Nossos rapazes se emocionaram.” A peça é uma adaptação com o tema do livre-arbítrio ao som de canções gospel.

A montagem conta a história de um adolescente que passa pelas influências da sedução, do ódio, dentre outras. Já enfraquecido para aguentar, sucumbe quando a falta de fé lhe é apresentada e senta-se na cadeira das tentações. O bem luta para retirá-lo daquela condição e a batalha termina quando o jovem escolhe se libertar e renasce.

No retorno, segundo Nancy, sorrisos estampavam os rostos dos jovens, que demonstraram sensação de cumprimento de meta. A diretora do centro socioeducativo, Mariane Taroco, e os agentes de apoio socioeducativo Ramon Ramos e Alessandro Borges também acompanharam os adolescentes.

Antes, nos dias 05 e 06 de abril, a encenação foi exibida, respectivamente, na Instituição Novo Amanhecer, em Dracena, e para crianças e adolescentes da Escola Municipal Pedro Leite Ribeiro, em Irapuru. Na última terça-feira (11 de abril), foi a vez dos alunos da Escola Estadual Ministro Oscar Pedroso Horta se emocionarem com a encenação.

“A apresentação na Instituição Novo Amanhecer foi uma oportunidade para os adolescentes criarem vínculos com a comunidade, pois o local oferece programas de inserção no mercado de trabalho”, explicou a coordenadora pedagógica.

No próximo domingo (16 de abril), Dia de Páscoa, às 19h, os jovens encerram as apresentações na Igreja Evangélica de Dracena.

Os convites para as encenações externas surgiram depois que a peça foi encenada no centro socioeducativo, no dia 28 de março, durante a cerimônia de entrega dos certificados dos cursos de educação profissional básica, realizados por educadores do Senac de Presidente Prudente.

Segundo a coordenadora pedagógica, havia no evento representantes das organizações que solicitaram as exibições, e as pessoas se emocionaram com a mensagem e a atuação dos adolescentes.

“A peça discute o envolvimento dos jovens com más companhias, erros que cometem e como eles renascem depois que se libertam das influências ruins”, explicou a coordenadora pedagógica.

Durante os meses de janeiro e março deste ano, com o apoio da coordenadora pedagógica e dos funcionários do centro socioeducativo e finalização do agente educacional Reinaldo Cirino Costa, os adolescentes ensaiaram e se dedicaram.

A atividade é parte da oficina de cultura de paz e do Eixo Étnico Racial promovida todas as sextas-feiras no centro para um grupo de 15 jovens internados. O foco é discutir questões como preconceito, raça, gênero e cultura de paz.

“Essas apresentações externas são importantes porque são momentos de socialização e integração dos jovens com o seu meio social de origem, além de ser um estímulo para o cumprimento da medida socioeducativa”, avalia Nancy.

O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e o Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase) preveem que durante a execução da medida socioeducativa de internação, é garantida a convivência comunitária do jovem.