Por: Assessoria de Imprensa | Publicado em: 05/04/2019 14:46:25

Encenação teatral foi parte das apresentações das oficinas culturais para encerramento do trimestre

 

Quinze adolescentes que cumprem medida socioeducativa de internação no CASA Bela Vista, no Complexo da Vila Maria, em São Paulo, encenaram na última terça-feira (02 de abril), a peça “Elza Soares, a mulher do fim do mundo”, para funcionários, outros jovens em internação e familiares convidados.

A apresentação foi parte das atividades de fechamento do trimestre das oficinas de arte e cultura do centro socioeducativo, executadas em parceria com a organização social Ação Educativa.

Na ocasião também houve exposição das telas da turma de artes plásticas. Na quarta (03/04), aconteceram a roda de capoeira e a apresentações de rap, com letras compostas pelos adolescentes. Nesta sexta-feira (05 de abril), dois adolescentes da oficina de capoeira participaram de atividade externa da modalidade na Escola de Capoeira Cordão de Ouro, em Osasco.

Baseada na música “Mulher do fim do Mundo” e na história do ex-jogador Garrincha, com quem Elza foi casada, a encenação contou a biografia da cantora, marcada tanto pela potente e reconhecida voz quanto pela discriminação por ser negra e a violência doméstica sofrida.

“É muito interessante vê-los atuar, pois exercem os papéis independentemente do gênero, sem preconceito”, afirmou o coordenador pedagógico do CASA, Emerson dos Santos.

O CASA Bela Vista oferece oficinas de arte e cultura nas linguagens do teatro, capoeira, rap e artes visuais. Na atividade pedagógica externa, o foco foi mostrar a vivência da capoeira em um ambiente de convívio comunitário.

Na Fundação CASA, as oficinas de arte e cultura acontecem em ciclos trimestrais, quatro vezes ao ano. Os adolescentes escolhem entre as linguagens disponibilizadas no centro socioeducativo, cujas aulas, em geral, são ministradas por educadores de organizações sociais parceiras.