Por: Assessoria de Imprensa | Publicado em: 28/11/2018 13:45:30

Seu desejo é tornar-se pedagoga para trabalhar na alfabetização de crianças e modificar o histórico familiar

 

Ensinar as primeiras letras, ajudar crianças a descobrir o mundo da leitura. Ao mesmo tempo, quebrar o histórico familiar e ser uma das primeiras a concluir o Ensino Superior. A escolha pela Pedagogia para Aline (nome fictício), de 19 anos, que cumpre medida socioeducativa de internação no CASA Chiquinha Gonzaga, em São Paulo, é multifacetada.

No último domingo (25 de novembro), Aline prestou, entre os mais de 127 mil inscritos, a prova da primeira fase do vestibular para uma vaga na graduação do curso de Pedagogia na Universidade de São Paulo (USP). De acordo com a Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest), responsável pelo exame, a USP disponibilizou, para 2019, 8.362 vagas em 183 cursos de graduação.

Em Pedagogia, são 126 vagas para o campus da capital, com total de 684 inscritos. A média de concorrência é de 5,43 candidatos por vaga. Aline se focou nos estudos em 2018 para trilhar um futuro diferente, uma vez que os familiares, em geral, não possuem o Ensino Médio completo.

“No final de 2017, quando meu primo, que cursa Letras numa universidade em Minas Gerais, veio me visitar, conversamos bastante e ele me falou que fazer uma graduação era a chance de quebrar o histórico familiar, de pobreza e falta de estudos”, lembra a jovem. Naquele ano, ela havia terminado a 2ª série do Ensino Médio no CASA Chiquinha e fora aprovada para o último degrau da etapa.

Determinada – e com apoio da equipe pedagógica e de referência –, a adolescente se focou nos estudos já a partir do primeiro semestre de 2018. Além das aulas da educação escolar com os professores da E.E. Oswaldo Cruz, após o cumprimento da agenda pedagógica do dia, Aline estudou cotidianamente de três a quatro horas por dia. Entre os materiais fornecidos pela equipe pedagógica do CASA, estavam provas de anos anteriores.

A inscrição na Fuvest veio após ser um dos premiados na Competição USP de Conhecimento (CUCo), um desafio criado pela USP para estudantes da rede pública do Estado de São Paulo. Entre os prêmios recebidos pelos alunos que estavam na 3ª série do Ensino Médio foi a isenção da taxa de inscrição, no valor de R$ 170 – além de receber certificado e poder visitar os laboratórios de pesquisa da Universidade de São Paulo. “Ser premiada na Competição me deu incentivo, porque eu achava que não era capaz”, afirma Aline.

A CUCo incentiva alunos da rede pública paulista tanto a ingressar nos cursos de graduação da USP quanto a melhorarem nas disciplinas exigidas nos processos seletivos de acesso ao Ensino Superior. A iniciativa é parte do programa Vem pra USP!, uma parceria da Universidade com a Secretaria do Estado da Educação.

Enfrentar a primeira fase da Fuvest também foi um desafio pessoal para Aline. “Fiquei muito nervosa e ansiosa. Foi a primeira vez que fiz esse tipo de prova (em concurso). Deu frio na barriga, mas acho que fui bem”, avalia a jovem.

Ela vai aguardar a divulgação da lista de classificados para verificar se está apta para a segunda fase, programada para ser publicada no dia 10 de dezembro. Se passar na nota de corte – em 2017, para Pedagogia foi de 36 pontos –, Aline prestará a segunda fase, em que enfrentará a temida redação.

“Se não der certo, continuarei tentando. Estudar pedagogia se tornou um sonho e uma meta de vida”, resume.