Por: Assessoria de Imprensa | Publicado em: 26/09/2011 06:37:05

Concurso de redação destina-se a alunos de escolas públicas e particulares, jovens da CASA podem ser inscritos

 

Continuam abertas até 30 de novembro as inscrições para o Concurso de Redação Camélia da Liberdade, promovido pelo Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (CEAP), para estudantes do Ensino Médio de escolas públicas e particulares, além de cursinhos pré-vestibulares de São Paulo e do Rio de Janeiro. Em São Paulo, o concurso está na quarta edição – e na quinta no Rio de Janeiro.

 

A iniciativa se estende aos adolescentes que cumprem medida socioeducativas na Fundação CASA, parceira do concurso por meio do Quesito Cor. Em 2010, um adolescente de 18 anos que cumpria medida socioeducativa no CASA Rio Tâmisa, no Complexo do Brás, na Capital, ficou em terceiro lugar entre os premiados. Em 2009, um jovem de 16 anos da Fundação CASA foi o vencedor.

 

Os centros de atendimento socioeducativos interessados em participar devem contatar a representação do Quesito de sua Divisão Regional, para onde os textos selecionados deverão ser encaminhados. A equipe do Quesito Cor na Capital é a responsável por inscrever os adolescentes. Em breve deverão ser divulgados os prazos finais de envio para unidades e divisões.

 

O objetivo do concurso é capacitar e levar à reflexão sobre as ações afirmativas no processo de consolidação da inserção da história e da cultura afro-brasileira no currículo da rede oficial de Ensino Básico. A homenagem de 2011 vai para Luiza Mahin, personagem nas lutas brasileiras pela igualdade, como as revoltas da Sabinada e dos Malês. Ela foi mãe do poeta e abolicionista Luiz Gama, reconhecido jurista, que cursou como ouvinte a Faculdade de Direito de São Paulo e foi um dos grandes nomes da cultura brasileira.

 

Os três primeiros colocados receberão prêmios, assim como os professores orientadores e a instituição escolar. O vencedor levará um notebook e uma impressora multifuncional a jato de tinta, enquanto a escola receberá um laboratório de com dez computadores. O segundo colocado ganhará um microcomputador com uma impressora multifuncional e o terceiro, um microcomputador com uma impressora simples. Os professores dos serão premiados: o primeiro lugar com um Tablet, o segundo com um notebook e o terceiro com um Ipod. As 30 melhores redações de cada Estado serão publicadas em livro.

 

Inscrições para escolas

As instituições de ensino participantes devem se inscrever no portal da CEAP (www.portalceap.org) para manifestar o interesse na participação. A unidade de ensino receberá um kit de apoio aos professores para ser usado como referência nos debates internos. O kit contém o DVD “Desigualdade racial no mercado de trabalho”, a revista em quadrinhos “Luiza Mahin: A Guerreira dos Malês”, de Aline Najara da Silva Gonçalves, e os cadernos “Projeto Político na Escola” e “Prática para a Diversidade”, respectivamente de Azoilda Loretto e Andrea Borges.

 

Depois da discussão do conteúdo com os alunos, a escola deve realizar uma seleção interna e encaminhar ao CEAP a redação vencedora, junto de outras seis que participaram do processo interno. Todo material irá para a análise da Fundação Cesgranrio.

 

Em São Paulo, o Instituto do Negro Padre Batista (INPB) é parceiro no concurso. Dúvidas devem ser encaminhadas para o e-mail inpb.projetocamelia@bol.com.br ou esclarecidas pelo telefone (11) 3106-7051, com Ana Paula ou Ana Rocha.

 

O projeto Camélia da Liberdade tem o patrocínio da Petrobrás e entre os apoiadores estão a Fundação CASA, a Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo e a Associação Nacional de Educação Católica do Brasil (Anec).