Por: Assessoria de Imprensa | Publicado em: 08/06/2020 11:00:00

Doações a famílias de jovens atendidos acontecem nesta semana na capital e no interior; objetivo é auxiliar aqueles que estão sem renda devido à pandemia da COVID-19

 

A Fundação CASA vai doar 525 cestas básicas para famílias de adolescentes atendidos na Instituição, tanto na capital (que também receberão cartões alimentação) quanto no interior, que estejam em situação de vulnerabilidade social causada pela pandemia da COVID-19. A Fundação conta com o apoio da Associação HURRA! e do conselho gestor do CASA Nelson Mandela, em Bauru, na ação solidária.

A maioria dos mantimentos será entregue em estruturas da Instituição nas cidades de São Paulo e Bauru na próxima semana, entre os dias 08 e 12 de junho. O objetivo é auxiliar os familiares que não estão conseguindo obter renda por conta do isolamento social, que é importante para evitar a propagação do novo coronavírus.

Na capital, entre segunda (08/06) e quarta (10/06) serão entregues de 473 cestas básicas, cada uma acompanhada de um kit com cartão alimentação no valor 97,50, recarregável por três meses, e três máscaras. A iniciativa conjunta entre Fundação CASA e Associação HURRA! recebeu o nome de Superando a COVID-19.

A distribuição acontecerá na sede da Divisão Regional do Complexo da Vila Maria (DRM-V) em horários previamente agendados com os familiares dos jovens atendidos nos centros socioeducativos Ouro Preto, Paulista, Bela Vista, Belém, Vila Guilherme, Nova Vida, Governador Mario Covas, João do Pulo e Itaquera.

De acordo com o presidente da HURRA!, Eduardo Pacheco, as cestas físicas mais os valores dos cartões correspondem à doação de mais de 2.300 cestas em quatro meses.

“Ficamos muito felizes em poder ajudar as famílias dos alunos dos nossos projetos, e no caso da Fundação CASA, atender todas as famílias. Essas ações só foram possíveis graças a um sentido de convergência social que permitiu unir diferentes atores da sociedade em prol de toda a comunidade, inclusive aqueles que em muitos casos ficam à margem das oportunidades”, disse Pacheco.

Segundo Paulo Dimas Mascaretti, secretário da Justiça e Cidadania e presidente da Fundação CASA, a ação solidária é de suma importância para as famílias dos jovens que estão cumprindo medida socioeducativa na Fundação. “Estamos nesta situação de pandemia em todo o mundo e temos que ajudar as pessoas que precisam. As famílias dos jovens da Fundação CASA se enquadram em perfis de vulnerabilidade social, por isso nos unimos para ajudá-los”, ressaltou Paulo Dimas.

De acordo com a diretora regional do Complexo da Vila Maria, Adriana Pereira Gomes de Souza, a campanha é um verdadeiro ato de humanidade. “A maioria dos pais desses adolescentes atua informalmente no mercado de trabalho, por isso, a campanha é de extrema importância para eles. É um ato de humanidade, é o próprio significado da palavra solidariedade”, comentou.

Na Fundação CASA, a Associação HURRA ensina o rúgbi para mais de 300 adolescentes e tem como foco utilizar o esporte como meio para transformação dos indivíduos.

 

Ação no interior

Em Bauru acontece a campanha “Cesta Solidária”, promovida pelos servidores do CASA Nelson Mandela, com apoio dos membros do Conselho Gestor do centro socioeducativo, de parceiros da sociedade civil e da Paróquia Santa Rita, da Igreja Católica.

Das 52 cestas arrecadadas, 15 já foram doadas a familiares dos adolescentes em atendimento. As outras 37 cestas serão entregues na próxima sexta-feira (12/06), em horário previamente agendado com as famílias, no próprio centro socioeducativo.

De acordo com o diretor do CASA, Ronaldo Pinheiro da Silveira, o objetivo é atender aos familiares de todos os adolescentes. “Estamos arrecadando para que cada uma das famílias possa receber esse benefício”, comentou.

Como explica a encarregada técnica do CASA, Eliza Massafera, a pandemia é um momento singular e que move o sentimento de solidariedade. “Vivemos uma realidade intrigante: ao mesmo tempo em que devemos nos isolar de nosso próximo, nunca foi tão urgente cuidarmos uns dos outros para podemos todos superar isso juntos”, concluiu.