Por: Assessoria de Imprensa | Publicado em: 24/03/2020 19:46:52

Documento da Superintendência e Gerência de Saúde elenca atitudes a serem adotadas e reforçadas nos centros socioeducativos

 

Sabia que higiene envolve hábitos e condutas individuais e coletivas para prevenir doenças que impactam na saúde? A limpeza, manual ou mecânica, significa remover sujeiras, detritos e microorganismos de qualquer área? A desinfecção, por sua vez, procura destruir microorganismos patogênicos ou não com substâncias desinfetantes? E que a esterilização destrói bactérias, vírus e fungos?

Esses conceitos e diversos procedimentos constam no novo “Manual de Higiene, Limpeza, Desinfecção e Esterilização”, elaborado pela Gerência de Saúde e a Superintendência de Saúde da Fundação CASA. O passo a passo mostra as ações que devem ser adotadas por adolescentes e funcionários nos centros socioeducativos de todo o Estado de São Paulo.

Com 59 páginas, o Manual estabelece diretrizes para prevenir e reduzir as infecções; ajuda a prevenir a deterioração e a reduzir o número de microrganismos em superfícies, objetos e materiais; e ainda subsidia treinamentos e capacitação dos funcionários para aplicar as ações e técnicas indicadas.

A publicação começa pela higiene, com a técnica básica de lavagem das mãos, que auxilia na prevenção de diversas doenças, inclusive a mais recente, a COVID-19, causada pelo novo coronavírus. O texto indica, passo a passo, as formas diferentes de lavagem, conforme o uso de água com sabonete líquido ou álcool em gel. Há ainda abordagem dos cuidados com higiene corporal e aparência pessoal.

Depois, sobre a limpeza das áreas, são apresentados os métodos existentes, a classificação das áreas, os produtos indicados e os princípios básicos para limpeza dos centros socioeducativos.

Para a realização das ações, o Manual informa os equipamentos de proteção individual (EPI) necessários, destacando suas funcionalidades e importância.

A publicação traz ainda dicas de como lavar, desinfetar e esterilizar espaços e artigos nos centros socioeducativos, vislumbrando a manutenção da saúde de jovens em atendimento e servidores. Também há orientações sobre o que fazer na ocorrência de acidentes com materiais biológicos.