Por: Assessoria de Imprensa | Publicado em: 02/04/2020 09:05:00

Treinamento inédito foi transmitido ao vivo para profissionais da instituição de todo o Estado

 

Em iniciativa inédita no Brasil, um grupo dos Médicos Sem Fronteiras (MSF) realizou na tarde da última quarta-feira (01/04) um treinamento com servidores da área da saúde da Fundação CASA sobre a prevenção e cuidados no combate ao Coronavírus, a Covid-19.

O evento foi realizado no auditório do Complexo Brás (DRM-III), em São Paulo, e foi transmitido ao vivo para todos os profissionais da saúde da Fundação em todo o Estado de São Paulo.

A equipe responsável pela capacitação é formada pela médica e coordenadora em São Paulo das ações de combate à Covid-19 do MSF, Ana Letícia Nery, pelo médico infectologista, Bruno Miguel Muniz Oliveira e pelos enfermeiros, Tatiana Chiarella e Rafael Medeiros.

Durante a palestra, os profissionais mencionaram que esta é a primeira vez que o MSF atua no Brasil em parceria com um órgão como a Fundação CASA.

Na sequência, orientaram os servidores sobre questões como a forma correta de prevenção, orientando também sobre a utilização dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

“Mostramos em quais momentos é necessário se utilizar de uma máscara ou de uma luva. Explicamos a diferença entre as máscaras, principalmente em relação a N-95”, comentou a médica Ana Letícia Nery.

Outro ponto destacado pela profissional foi a questão do distanciamento social e medidas de higiene. “A principal forma de prevenção é a lavagem das mãos, seguida da higienização das superfícies com álcool ou cloro, além é claro da distância mínima de 1 metro e da redução de toques e cumprimentos, mesmo em pessoas que são próximas da gente”, comentou.

Por fim, a médica destaca ainda a importância desse tipo de capacitação. “Acredito que com essas orientações, os profissionais da Fundação CASA conseguirão agir mais rapidamente para identificar e isolar os casos suspeitos, diferenciando os sintomas da Covid-19 de outras doenças como a tuberculose, e também sabendo em quais situações os pacientes apresentam casos graves e devem ser submetidos a internação em estabelecimentos de saúde”, concluiu.