Por: Assessoria de Imprensa | Publicado em: 02/12/2019 19:46:03

Regina Fernandes, da Fasepa, visitou centros do Complexo Vila Maria para compreender como a organização se manifesta na prática

 

A coordenadora de Atendimento Socioeducativo da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa), Regina Fernandes, visitou nesta segunda-feira (02 de dezembro) cinco centros socioeducativos da Divisão Regional Metropolitana Norte (DRM-V), o Complexo Vila Maria, em São Paulo.

O foco foi ver, na prática, como se dá a organização do sistema socioeducativo paulista no regime fechado, executado pela Fundação CASA. A dirigente conheceu os trabalhos nos CASAs Ouro Preto e João do Pulo, que recebem adolescentes em primeira passagem, Nova Vida e Paulista, cujo atendimento se destina a jovens com múltiplas passagens, e Semiliberdade Fênix.

De acordo com a diretora da DRM-V, Adriana Pereira Gomes Souza, a coordenadora acompanhou o cotidiano dos jovens: a forma como são servidas as refeições, a agenda pedagógica, o sistema de segurança – com a implementação dos escâneres corporais para revista –, a forma do atendimento psicossocial, entre outros.

“Foi uma troca de experiências, com uma pessoa bastante carismática. A realidade dos sistemas fechados de São Paulo e do Pará são completamente diferentes, a começar pelo tamanho”, observou a diretora do Complexo Vila Maria.

Segundo a última edição do Levantamento Anual do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase), o relatório do Ministério dos Direitos Humanos divulgado em 2018 com base em dados de 2016, São Paulo tinha o maior número de adolescentes em atendimento no regime fechado no Brasil, com 9.572 jovens (em 2019 são cerca de 7.800 atendidos), enquanto o Pará atendia a 424 adolescentes.

De acordo com a diretora da DRM-V, a coordenadora da Fasepa explicou que o Pará passa por um momento de estruturação e organização do sistema, com elaboração de regimento interno, entre outros. “O momento em que a coordenadora trocou experiências com as equipes de referência somou ao cenário humanizado do atendimento socioeducativo”, observou Adriana.

O convite para conhecer o sistema paulista ocorreu durante a reunião do Fórum Nacional de Dirigentes Governamentais de Entidades Executoras da Política de Promoção e Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Fonacriad), realizado em Brasília, entre os dias 27 e 29 de novembro.

A secretária adjunta da Justiça e Cidadania e vice-presidente da Fundação CASA, Ana Paula Bandeira Lins, e o chefe de Gabinete da CASA, Mauricio da Silva Correia, participaram das discussões do Fórum.