Por: Assessoria de Imprensa | Publicado em: 19/12/2018 17:25:00

Adolescentes expuseram trabalhos e participaram de experiências que buscaram demonstrar a importância da diversidade

 

Adolescentes que estão na internação provisória no CASA Topázio, no Complexo do Brás, em São Paulo, participaram da Mostra Cultural – Diversidade: Independência Cultural, realizada no centro socioeducativo no dia 14 de dezembro. A internação provisória é uma medida cautelar prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) em que o jovem autor de ato infracional aguarda por até 45 dias a sentença judicial.

Os rapazes expuseram as produções confeccionadas durante as aulas da educação escolar, com orientação dos professores da escola vinculadora, da E.E. Padre Anchieta. Também assistiram a apresentações dos funcionários e vivenciaram experiências com foco na diversidade.

“As discussões sobre a realização da mostra meados de outubro”, explicou a coordenadora pedagógica do CASA, Érika dos Santos Jacob, sobre o processo de elaboração da atividade. Os profissionais envolvidos foram instigados a incentivar a produção dos adolescentes sobre a diversidade em diferentes aspectos: regional, musical, profissional e esportiva.

Entre as exposições, houve mostra de painéis com o tema “Mãos que trabalham: sem trabalho não há sociedade”, debatido com a agente educacional Maria Cristina Camilo dos Santos e a professora Ana Paula Martins.

Ainda na temática sobre trabalho, o agente de apoio socioeducativo Pedro José de Melo declamou poesias e textos, de sua própria autoria, sobre a importância da capacidade laborativa. Ele ainda cantou a música “É preciso saber viver”, composta por Roberto Carlos em parceria com Erasmo Carlos.

Houve apresentações de roda de capoeira – iniciativa dos próprios jovens que se organizaram nos treinos – e de coral, ensaiado pela pedagoga Sonia Regina dos Santos.

O profissional de Educação Física Paulo Antonio dos Santos promoveu a vivência dos adolescentes em jogos de handebol, vôlei e futebol adaptados a pessoas com deficiência, demonstrando a importância da conscientização sobre a acessibilidade a esse público.

Segundo a coordenadora pedagógica do CASA Topázio, as atividades desenvolvidas priorizaram o uso da criatividade. “Vimos o envolvimento e a união de adolescentes e funcionários, com colaboração de muitas áreas”, afirmou Érika. “Foram momentos lúdicos e que agregaram conhecimento.”