Por: Assessoria de Imprensa | Publicado em: 19/02/2016 14:33:42

Na segunda (22/02), a Divisão apresentou planos de contingência e político pedagógico de Atibaia, Bragança, Franco da Rocha e Jundiaí

 

As rodadas de apresentações dos planos de contingência e políticos pedagógicos das divisões regionais da Fundação CASA continuaram nesta segunda-feira (22 de fevereiro), em Atibaia, com as discussões referentes à Divisão Regional Metropolitana (DRM-I), responsável por centros socioeducativos da Região Metropolitana de São Paulo e Sorocaba.

 A DRM-I responde por 13 centros socioeducativos localizados nas cidades de Franco da Rocha, Atibaia, Bragança Paulista, Jundiaí e Sorocaba. As rodadas servem de subsídio para a elaboração do planejamento estratégico da CASA há quase uma década. As exibições foram no Centro de Convenções e Eventos "Victor Brecheret".

Para 2016, além de continuar com o uso do método de Análise Swot, as equipes multidisciplinares dos centros socioeducativos concentraram a avaliação na elaboração dos planos de contingências, planejamentos para qualquer situação que possa afetar o cotidiano do atendimento prestado aos adolescentes.

Os planos de contingência são utilizados pelas organizações em geral, públicas ou privadas, para tanto prevenir situações emergenciais como atuar na sua ocorrência. A partir de ocorrências enfrentadas no último ano, os centros fazem seus planos.

Durante as rodadas do PPP, as divisões apresentam para a executiva da Fundação CASA suas avaliações regionalizadas, com os resultados obtidos em 2015, os desafios e seu planejamento estratégico regional para 2016, assim como os planos regionais de contingências.

Com base em análises de conjuntura, ao longo dos meses de dezembro de 2015 e janeiro de 2016, os profissionais das divisões fizeram discussões locais dos dados e propuseram soluções para o enfrentamento dos desafios apresentados.

As divisões regionais Metropolitanas Oeste (DRM-IV), Norte (DRM-V) e Leste 1 (DRM-II) já apresentaram seus planos. Nesta semana, além da DRM-I, também mostram os resultados as divisões regionais Litoral (24/02), em Praia Grande, e Vale do Paraíba (26/02), em Jacareí. As outras divisões do interior exibem os planos durante o mês de março.

As análises e propostas serão debatidas entre executiva e as equipes das divisão regional respectiva e representantes dos centros socioeducativos.

“Pensar o plano de contingências de uma forma estrutural, tanto pelo centro quanto pela regional e a própria Fundação é uma evolução na gestão institucional”, avalia a diretora Técnica da Fundação CASA, Maria Eli Colloca Bruno. “Os planos servirão não só para enfrentar as circunstâncias que se instalarem como também será uma estratégia de prevenção, atuando antes que as situações.”

Todos os dados e sugestões obtidos servirão de subsídio para a executiva da CASA montar seu planejamento institucional. O plano geral é encaminhado para a Secretaria Estadual de Planejamento e Desenvolvimento Regional, que o agrega à proposta do orçamento do Estado para votação na Assembleia Legislativa ainda em 2016.